ANTES DE COMPRAR ENVIE UM EMAIL INFORMANDO O MANUAL DESEJADO.
mtheogenesnegocios@hotmail.com



terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Gol Quadrado (Primeira Geração)


O Gol nasceu em 1980, fruto do projeto denominado internamente na fábrica de BX. Estava equipado com motor de 1,3 litro, um carburador e refrigerado a ar, o que lhe valeu o infame apelido de "batedeira". Por causa do desempenho muito aquém do que as linhas sugeriam, a VW lançou já em 1981 uma versão com motor 1.6 e dois carburadores, bem mais "esperta". Em 1982 é lançada a primeira série especial do Gol, o Copa, com rodas de liga-leve, pára-choques na cor do veículo, forração especial, faróis de neblina etc.
O Gol GT, o primeiro a contar com uma unidade de quatro cilindros refrigerada a água, de 1,8 litro e 99 cv (somente a álcool) foi lançado em 1984, primeiramente com câmbio de quatro marchas e somente a partir do ano seguinte com cinco marchas.
No ano seguinte as versões S e LS passam a ter motor AP 1.6 refrigerado a água, também de quatro cilindros em linha, de série. Com isso passam a ter a frente do Voyage, com piscas integrados e faróis de maiores dimensões. A versão "a ar" permaneceria em linha até 1986, denominada BX em homenagem nome original do projeto. Nesse mesmo ano surge uma nova série especial do Gol, a Plus, calotas do Santana CL, forração cinza, pára-choques pintados na cor do veículo (prata ou bege metálico) etc.
Em 1987 o Gol passa pela primeira plástica, com a adoção de uma nova frente e traseira, mas mantendo-se o painel antigo, que por sua vez era originário da Variant II. Em 1988 o modelo passa a ter um novo painel, além dos espelhos iguais aos do Santana a montados junto aos quebra-ventos, numa posição bem melhor.
Em fins de 1988, como modelo 89, surge o primeiro carro nacional a contar com injeção de combustível, o Gol GTi.
Em 1990 as versões CL e GL passam a ter motor CHT, de origem Ford, em função da Autolatina, a união da Ford com a VW que se deu em 1987 e que duraria até 1996. Esses carros têm bom torque em baixos regimes de giro, além de serem muito econômicos, mas tecnicamente inferiores aos Gol com motor AP.
Em 1991 o Gol passa pela segunda plástica e mais uma vez recebe nova frente, bem mais moderna, além de uma nova tampa do porta-malas.
Já em 1993 a VW voltaria a equipar o Gol com esta unidade, retornando às origens. Mas é bom saber que existem as duas versões de motorização nesse ano-modelo de 1993, portanto olho vivo na hora da compra!
Já em fins de 1994 o Gol ganha uma nova carroceria, cujo projeto desta vez era denominado AB9. Essa versão seria conhecida com "bolinha", mas isso é uma outra história.

Comprando um Gol G1 usado

O Gol é um carro robusto, mas alguns cuidados são necessários na hora da aquisição. Se for submetido a muitos buracos ou mesmo se a suspensão for rebaixada e receber muitos impactos, é quase certo que vão surgir trincas nas torres dianteiras e na parte inferior da parede de fogo (que separa o motor do habitáculo), no chamado curvão. Essas trincas podem ser soldadas, mas o procedimento exige a remoção da suspensão dianteira e, se for o caso, do revestimento interno junto ao curvão.

Nos modelos CL e GL fabricados entre 1990 e 1993, quando equipados com motor CHT, que era denominado AE 1600 pela VW, ouça atentamente se o motor não apresenta ruídos metálicos provenientes do tensionador da corrente ou da própria corrente, que aciona o comando de válvulas. Esse ruído se manifesta particularmente na hora da partida.

Em 1993 alguns modelos equipados com motor 1.8 apresentaram problemas nos furos de lubrificação do virabrequim, o que provocava desgaste prematuro da peça, indicada por ruídos metálicos vindos da parte de baixo do motor. Verifique também o estado do chamado coxim "aéreo", o coxim central que fica na dianteira do motor e que vai preso ao painel frontal. Se ele se quebra, a parte dianteira do motor sobe e acaba danificando o capô do motor.

Nas suspensões, cheque a cambagem das rodas traseiras, que em veículos desse modelo que carregaram muito peso tende a ser excessivamente negativa, causando desgaste da face da banda dos pneus que está voltada para o assoalho.

Com relação à carroceria, num carro com mais de dez anos de idade vai ser difícil encontrar algum que ainda não tenha sofrido retoques ou repintura. Mas batidas fortes não são desejáveis em carros de qualquer idade e com o Gol não poderia ser diferente. Na dianteira, na junção dos pára-lamas com o berço do motor existe um filete de massa de vedação de cada lado do carro, que é retilíneo e sem marcas. Esses mesmos filetes estão presentes no reforço em forma de "X" no capô do motor e na traseira, embaixo das lanternas.

 FICOU ZERO KM
ARTIGO PARA COLECIONADOR


Manuais Disponíveis:
GOL 88 a 90
Clique no ícone PAGSEGURO no inicio do blog para adquirir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário