ANTES DE COMPRAR ENVIE UM EMAIL INFORMANDO O MANUAL DESEJADO.
mtheogenesnegocios@hotmail.com



quarta-feira, 9 de março de 2011

Tempra


No Brasil, foi lançado em Novembro de 1991, com índice de nacionalização próximo aos 100%. As principais diferenças estéticas em relação ao europeu são os retrovisores maiores de aspécto mais esportivo e não retráteis (os do europeu se assemelham aos do Uno), a falta de piscas laterais (obrigatórios na Europa), falta do limpador do vidro traseiro e também a falta da opção dos vidros azulados existentes como opcional na versão européia.
Outras diferenças estéticas são a grade frontal, a tampa do porta-malas com fechadura e alojamento da placa exclusivos para o modelo brasileiro, e o acendimento diferenciado das lanternas traseiras do modelo brasileiro em relação ao europeu, em que as meias-luzes traseiras do brasileiro acendem em três pares de lâmpadas formando um belo conjunto de luzes enquanto no modelo europeu o acendimento das meias-luzes traseiras ocorre em apenas um par de lâmpadas, sendo que a lâmpada da parte de cima de cada lanterna é apenas para as luzes de freio e a lâmpada da parte debaixo de cada lanterna é apenas para as luzes de neblina (obrigatórias na Europa), de forma semelhante ao Fiat Tipo no que diz respeito ao acendimento de cada função das lanternas traseiras. Na mecânica, mais ajustes: Diversos novos pontos de solda no chassi e uma suspensão retrabalhada, para se adaptar as estradas brasileiras, com irregularidades. Na Europa ele era um sedã médio inferior ao Fiat Croma, topo de linha da Fiat européia. No Brasil, por representar o topo de linha, precisou de motores mais potentes e isso demandou mudanças no acabamento e numa suspensão a altura. No interior detalhes luxuosos. A versão ouro (16 válvulas), tinha no painel, apliques imitando madeira, travamento central das portas por interruptor no painel e rádio/toca-fitas de fábrica eram novidades em carros da FIAT. Obs: Tanto a motorização idealizada por Enzo Ferrari, bem como a plataforma "carroceria" vem do Alfa Romeo 155,que foram adaptados para as leis e condições de estradas do Brasil
Tempra 16v/Tempra Turbo - Chegava em 1993 para revolucionar o mercado brasileiro. Foi o primeiro carro a ter 4 válvulas por cilindro no Brasil (ou 16v, onde o v minúsculo que indica a quantidade válvulas de um motor, já o V maiúsculo é usado para indicar que se trata de um motor com geometria em V.). O mesmo motor de 2.0 litros, atingia 127 cv (28 cv a mais que a versão 8 válvulas)( Mas Testes da Imprensa indicaram que ele obtinha 135 cv) chegava aos 202 km/h, e fazia 0 a 100 em 9,8 s.
Na europa este mesmo motor entregava 150cv, mas acredita-se que a FIAT declarou 127 por questões de impostos (o IPI, no caso), mas a perda para 135cv é natural, considerando a adaptação para o combustível brasileiro, com 27% de álcool.
No entanto, embora aumentasse seu torque para 18,4 kgfm (ganho de 2 kgfm),(ainda pouco para o peso do carro) o torque máximo surgia só a elevadas 4.750 rpm, representando melhora bastante discreta onde o carro mais precisava, as baixas rotações.
O Fiat Tempra Turbo, foi o primeiro três volumes, a receber turbocompressor, e que gerava 165 cv e 220 km/h de velocidade máxima declarada, porém testes da imprensa mostravam máxima de 210Km/h.
O motor tinha oito válvulas, que a Fiat considerava suficiente para o desempenho almejado, recebia turbocompressor Garrett com pressão de superalimentação de 0,75 kg/cm2 e intercooler.
O Tempra Turbo acelerava de 0 a 100 em 8,2s conforme dito na revista Quatro Rodas como "O Recorde do Turbo", pouco tempo depois ganhou o título de "O Carro do Ano 95" e "Mais Veloz do Brasil".
Como opcionais, ar condicionado digital programável, bancos em couro elétricos com regulagem de altura e apoio lombar, freios com ABS, check control, retrovisores fotocromicos etc.
O carro ganhou uma legião da fãs que dizem que na época, o carro era nacionalmente imbatível.
As versões Turbo e Stile vinham com rodas aro 14 cujo formato remetia ao rotor de uma turbina, já a versão Turbo Stile, vinha com rodas aro 15 do mesmo modelo do HLX.
Tempra SW - A Fiat passava a trazer da Itália a perua Tempra S.W. Espaçosa e com bom porta-malas, não convenceu a todos, terminando numa traseira reta, ao estilo Volvo, e as janelas posteriores eram trapézios invertidos. Mas trazia bons recursos: uma tomada de ar tipo NACA para manter o vidro traseiro limpo pela ação do ar, painel digital, freios ABS/EBD a disco nas 4 rodas e opção de bolsa inflável (airbag), que o Tempra nacional nunca teve.
Ficha técnica
Edição: 11/1994 Configuração: 2.0 - 4L - G - 5M - TD Potência(cv/rpm): 109,1/5.750 Torque (kgf/rpm): 16/2.750 Velocidade máxima (km/h): 163,0 Aceleração 0-100 km/h (s): 14,7 Retomada 80-120 km/h na última marcha: 24,9 Frenagem 100–0 km/h sem travamento (m): 45,2 Aceleração lateral (g): 0,81 Consumo cidade (km/l): 10 Consumo estrada (km/l): 12 Porta malas (l): 540/1590 Peso (kg): 1.875 Tanque de combustível (l): 65
Tempra HLX/STILE - No ano seguinte, 1995, a marca lançou o Tempra HLX/Stile para preencher uma lacuna na linha, a de um sedã 4 portas discreto e com o motor do Turbo. O Tempra Stile com o tempo substituiu o Tempra Turbo 2 portas, com a proposta esportiva suavizada à favor do conforto.
Em 1996 a linha recebeu um face lift, com faróis menores à frente com duplo refletor, lanterna traseira com pisca e luz de marcha-à-ré em forma de gota. Em 1997, a linha foi rearranjada, com a versão com motor 2.0 8v saindo apenas na versão SX, mais simples, a versão com motor 16v saía tanto na versão mais simples SX, como na versão mais completa HLX, isso sem falar na versão top de linha, a Turbo Stile.
Após estas versões o fim da produção do Tempra se aproximava, veio então Tempra de 1999, que foi modificado nos pára-choques, que agora vinham integralmente na cor do veículo, além de mudanças na grade dianteira e nas maçanetas das portas. O acabamento interno tinha os forros das portas da linha Tipo e novo tecido nos bancos, os mostradores do painel vinham em tom azul.
A linha agora era rearranjada e a versão Turbo Stile deixava de ser oferecida, havendo apenas a opção entre o motor 8v e 16v.
Alguns meses depois a Fiat iniciou as vendas do sucessor do Tempra, o Fiat Marea, o que encerrou sua produção no Brasil, deixando muitos de seus fãs com saudades.

Manuais Disponíveis:
MANUAL TEMPRA SX/ HLX/ Turbo Stile 96/97
Clique em um dos ícones de pagamento no inicio do blog para adquirir.

7 comentários:

  1. amigo, boa tarde, seu blog é um achado!!! e já está nos meus favoritos!!! gostei pois foi o único que achei até agora com muitas informações sobre o tempra e também com atualização neste ano.
    Gostaria de tirar uma dúvida, você tem o manual do tempre 96-96 i.e 2.0 8v gasolina para que eu possa baixar? grata.

    ResponderExcluir
  2. meu caro gostaria de saber se vc tem como conseguir o manual do tempra 1993, 2.0 8v carburado gasolina modelo prata, cara achei esta reliquia e quero simplismente restaurar com as informações originais dela....

    parabéns pelo blog, qualquer novidade entre em contato pelo meu mail, guilfo_leal@hotmail.com, valeuuuuuuuuuu!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Ain... queria o manual do Tempra 95 2.0 16v... teria como conseguirr????

    gosteii mto do blog!!!
    Parabens...

    Qualquer coisa meu email: manoela.araujo09@gmail.com

    vlw!

    ResponderExcluir
  4. Amigo parabéns pelo blog.

    Estou precisando do manual da tempra sw 95. Você sabe o valor?

    Meu email :soulpaulo@gmail.com

    ResponderExcluir
  5. Por gentileza, alguem tem: Manual de algum veiculo que mencione colocar somente agua como liquido do radiador?
    Favor envie para alison.l@globo.com
    Obrigado.

    ResponderExcluir
  6. Hii.. eu estou prescizando do manual do 97 para saber a ordem dos fuziveis ....pedrocfelga@hotmail.com

    ResponderExcluir